Minha mãe conta um pouco da minha história

Dias difíceis

Dia 9 de maio de 2008, minha filha Marcela teve um dia bastante comum para uma jovem de 19 anos. Acordou cedo, foi para a clínica de acupuntura onde era recepcionista, trabalhou até o final da tarde e, como fazia todos os dias, foi para a Anhembi Morumbi, onde cursava o terceiro semestre de Psicologia. Na saída da faculdade, ela e o namorado, Rodrigo, que cursava Publicidade na mesma Universidade, foram ao Bar Dinorah, na Vila Madalena, comemorar o aniversário de uma amiga.

Na volta da festa, por volta de quatro horas da manhã, já dia 10 de maio, véspera do dia das mães, o carro em que ela estava colidiu contra um poste e uma grade de uma concessionária de veículos, a um quarteirão da minha casa. Os dois foram retirados das ferragens e encaminhados, pelo resgate, para o Hospital Regional Sul. Lá receberam atendimento de emergência. Após algumas horas, minha filha foi transferida de ambulância UTI para o Hospital Santa Catarina, na Av. Paulista.

O caso dela não podia ser mais grave. Ela, durante o impacto, sofreu desaceleração, e o seu cérebrou chicoteou para frente e para o lado. Em outras palavras, seu cérebro bateu fortemente contra a sua calota craniana. Ela entrou em coma profundo, a tomografia, feita no Regional Sul, já detectou uma lesão axional difusa no tronco cerebral. Fomos avisados pelo neuro que a atendeu, que essa lesão era irreversível e que seu prognóstico era o de viver em estado vegetativo.

Próximo ao horário do almoço, já estávamos dando entrada no Santa Catarina, na UTI Neurológica. Novos exames foram feitos e ela foi submetida a sua primeira cirurgia: foi instalado dentro de seu cérebro um aparelho chamado PIC, que mede a pressão intracraniana. Esse aparelho fica fixado no cérebro e ligado a um aparelho que, permanentemente, monitora a pressão. No quinto dia após o acidente, a pressão aumentou muito. Ela teve um AVC isquêmico que lesionou a parte direita de seu cérebro. Diagnóstico médico: hemiplegia espástica à esquerda.

Suas chances de vida eram menores a cada dia. Para que tivesse chances de sobreviver, foi submetida a uma cirurgia chamada craniotomia. Uma considerável parte de sua calota cerebral foi retirada para que o inchaço de seu cérebro pudesse não mais lesionar outras áreas, ou seja, sem a parte óssea, seu cérebro poderia inchar para fora da cabeça. Esse osso foi mandado para a Universidade de São Paulo, para ser conservado em baixíssimas temperaturas. Depois de dez dias, ela foi submetida a uma traqueostomia, para que pudesse ser desentubada, já que os tubos de respiração poderiam ser focos de infecções. Foi descoberto que o impacto havia rompido o terceiro nervo óptico do olho direito, que é responsável pela abertura e o fechamento da pálpebra, dilatação e contração da pupila e movimentação ocular, ou seja, uma pitose foi instalada. Sua pálpebra não podia mais se abrir. Fechada, guardava uma pupila totalmente dilatada, demonstração clara de uma lesão cerebral. Dias após, foi gastrostomizada, para que pudesse receber alimentação diretamente no estômago. Minha filha passou 55 dias em coma profundo, ligada à dezenas de aparelhos que monitoravam todas as suas funções vitais.

A saída do coma, a volta à vida, é lenta. A cada dia, os neurônios refazem algumas sinapses, ou seja, descobrem alguns novos caminhos para restabelecer suas funções. A volta do coma também nos trazia as consequências que estariam instaladas, ou seja, as sequelas. Não havia movimento de nenhum músculo do lado esquerdo do corpo, rosto, braço e perna estavam paralisados. O olho direito não abria e havia dúvidas de que a visão daquele olho também estivesse preservada.

Depois de 60 dias internada, Marcela foi transferida para o quarto para evitar que mais uma infecção, comum em UTI, fosse desenvolvida. Ela já havia desenvolvido várias pneumonias. Por não conseguir se mover, era necessário que mudássemos a sua posição no leito a cada duas horas para que não desenvolvesse escaras, que são feridas que demoram muito a cicatrizar. Ela nunca teve nenhuma escara, o que é muito difícil de ser conseguido em quadros como o dela. No quarto, os médicos perceberam que o cotovelo esquerdo estava destruído e ela foi submetida a uma cirurgia de reconstrução, onde foram colocados pinos e placas. Ela passou a receber atendimento fonoaudiológico para reaprender a engolir e a falar. Ela falou sua primeira palavra 80 dias após o acidente. Assim que passou a engolir substâncias pastosas e aprendeu a beber água foi descanulada, ou seja, o aparelho de traqueostomia foi retirado, a gastrostomia também foi retirada e ela passou a se alimentar de maneira natural.

Foi então que os médicos recolocaram sua calota cerebral. A parte do osso que havia sido retirada, foi recolocada em seu crânio e presa por grampos de titânio.

Noventa dias após o acidente, minha filha veio para casa, em sistema de Home Care. Sua situação ainda era muito delicada. Não havia controle da cabeça, do tronco, babava, usava fraldas, se alimentava vagarosamente porque engasgava com frequência. Sua comunicação era totalmente prejudicada. Sua fala era difícil e muito confusa. Sua memória recente estava totalmente prejudicada. Não conseguia se lembrar de nada que havia acontecido com ela após 20 minutos do acontecido. Começava então uma longa caminhada chamada reabilitação, que teve dia para começar, mas que sabemos, não ter dia para acabar. Nosso único objetivo em todo esse caminho de dor profunda é conseguir que ela consiga chegar, o mais perto possível do que foi: uma menina saudável, inteligente, responsável, linda e com um futuro promissor a sua frente.

Nossa vida ficou bem diferente da vida que tínhamos meses atrás. Nossa rotina se resume a uma agenda repleta de terapias: fisioterapia motora, fisioterapia neurológica, fonoaudiologia, psicopedagogia, equoterapia, acupuntura, fisiatria, terapia ocupacional e psicologia. Eu digo “nossa” porque a acompanho em todas as atividades. Minha filha precisa da cadeira de rodas para se locomover e de ajuda para viver e, quem sabe, um dia voltar a ser o que era: um indivíduo produtivo, independente e feliz!

São muitos os ganhos motores que temos presenciado. Por receber atendimento fisioterápico e fonoaudiológico em nossa casa, percebemos, a cada dia sua evolução. Sua situação ainda é a de semi dependência. Locomove-se em uma cadeira de rodas com ajuda, já que o lado esquerdo de seu corpo, membro superior e inferior é paralisado, impedindo que ela, mesmo na cadeira de rodas, consiga se locomover de forma independente.

Essa é a parte clínica. A parte emocional é uma história totalmente diferente. Também bem mais difícil de explicar. O que se espera que passe no coração de um ser humano nessa hora? Quase nada... e tudo... tudo ao mesmo tempo. Para que algo acontecesse nesse coração, precisaria de uma simples certeza: de que se tivesse a certeza de que ainda há um coração dentro do peito... é quase uma sensação de dormência. As pessoas perguntavam como eu suportava tanta dor. Eu não sei. Simplesmente não me lembro disso. Fui e sou apenas mãe. O que eu não consigo esquecer é de que cada dia é um dia, cada vitória, uma conquista... Aonde chegaremos? Não sei... muitas vezes me parece que não há limites para as coisas que o amor é capaz de conseguir. 

eu de dreads eu e a ma   MARCELA4 REVISTA ENTENDER A MULHER

34 Response to "Minha mãe conta um pouco da minha história"

Thathy disse...

Márcia... cada palavra que eu lia eu só conseguia pensar "como ela está se sentindo escrevendo isso?" pq eu sei que contar é reviver.. mas que escrever é reviver muitas e muitas vezes... Afinal, quando escrevemos, lemos e relemos nosso texto, pois nos preocupamos com o entendimento do leitor... Precisamos garantir que ele entenderá exatamente o que pretendemos que ele entenda...
Te admiro um tanto que palavras não podem descrever...
E amo vocês um tanto que só almas podem entender!!!!
Beijos imensos

marize disse...

Marcia, agora eu consegui postar... eu tenho muito orgulho de conhecer a história dupla de mãe e filha nessa luta pela qualidade de vida. Vocês são um exemplo de amor, de garra , de perseverança. Que Deus ilumine você e a Marcela sempre. Beeeeeeeeeeeeeeeijos. Marize

Fernanda disse...

Márcia, cada palavra escrita, cada frase demonstra uma vitória dia após dia.. e só com a Fé e o tamanho desse AMOR entre mãe & filha é que ela vai superar dia após dia. Tive meu pai, um grande homem que após o falecimento do meu irmão acelerou seu quadro de Alzheimer, muitos não acreditavam quando ele após ficar numa cama, sem andar, dependendo de cadeira de roda, alimentação só líquida e por cano nós lutando dia após dia, principalmente ele, médicos desenganavam quando eu perguntava se ele poderia andar novamente, era pneumonia atrás de pneumonia.. foi quando com o nosso amor de filha & Pai que fiz ele voltar a andar e como andou o tempo de vida que lhe restou!! Para mim, mesmo ele já tendo 77 anos na época, era como fazer uma criança a andar, só que no caso era um idoso.. só que foi a coisa mais linda que nos aconteceu. Que fique em seu coração essa sua força, a força de viver que a Marcela tem.. e acredite que tudo vai ficar como vocês sonham!

Anônimo disse...

Parabéns pela determinação, que exemplo de vida!
Não as conheço pessoalmente, uma amiga postou o link do blog.
A luta de vocês é emocionante, muita luz e sucesso no seu caminho!!!
Renata

Amanda Andrade disse...

lindo, Marcia!
só o amor de mãe constrói mesmo...
como posso te ajudar?
Me mande algumas dicas, e conte comigo! Enorme beijo
Vanessa Andrade
vanessa@colegioalvorecer.com.br

Toninha disse...

Márcia, somente agora conheci realmente a verdadeira história, pois a unica coisa que lembro era de estar naquele dia no MSN e você pedindo pelo amor de Deus...consegue o telefone da Rosana...lembra disso? Não dá pra ler e não se emocionar com tudo isso, pois quando tudo parecia normal..tudo vira de pernas pro ar..e derrepente tudo isso pra você agora é o "normal"...você e sua familia realmente são muito especiais..bjs

Fabiana disse...

Nossa Marcia!
Que texto lindo!!!
Sem palavras...

Anônimo disse...

" Marcela querida, sou tia da Marina, acompanho sua história desde o começo.
O que posso dizer a vc e a sua mãe Márcia...,Que desejem, desejem sempre tudo aquilo que o coração desejar,pois o Universo conspira a teu favor neste instante mágico.
Por muitas vezes nos perguntamos o por quê, das coisas serem, ou acontecerem, dessa ou daquela forma... .Muitos respondem que é porque Deus quer assim, ou então dizem que é para Ele saber se somos fortes o suficiente para sermos merecedores posteriormente... .
Peço perdão e te digo agora, Deus não quer...espera vc querer para te dar. Merecedores já somos, não temos que provar nada.
Acontece...e é assim, para que vejamos, de uma vez por todas, Deus em tudo e em todos.Essa foi a mensagem que Jesus tentou passar e acabou na cruz,e se passaram 2 mil anos e ainda a humanidade não entendeu isso.
Olhando suas fotos,lendo o que a Márcia escreveu,em fim desde que abri este blog vejo Deus em tudo e em vc.
Te amo Marcela... seja feliz e livre " Arantxa Garrues Sanchez

Rosângela disse...

Acho que posso dizer que acompanhei um pouco dessa história... sofri tb junto com vcs... Acompanhei sua dor e sei o quanto foi difícil, mas tb sei que vc nunca perdeu a esperança... Te admiro muito... vc sabe disso. Vc é uma grande mulher... Deus, com certeza, esteve e estará sempre ao seu lado.

Anônimo disse...

Márcia, acompanhei de longe a sua jornada com a Marcela e sempre pedia a Deus que cuidasse de vcs.O seu relato é a maior demonstração do amor de Deus por nós e da realização dos seus milagres em nossas vidas. Eu creio em milagres e sei que a vida da Marcela e todo o seu processo re reabilitação é um grande milagre. Que Deus continue abençoando suas vidas e nós, ficaremos ainda mais surpreendidos com as novas conquistas. Bjus.Eliana Moreira Slonzon

Ana Carolina Rocha disse...

Márcia...

Não posso nem se quer imaginar a dor que sentiu.
Suas palavras me deixaram imensamente comovidas!

Márcia Você é uma Super Mãe!!
E a Marcela(embora não a conheça pessoalment)
É uma HIPER GUERREIRA
Parabéns as Duas!!

Marise (ex Auxiliar de Artes Pentágono) disse...

Estou emocionada com sua história... sempre te admirei como pessoa, profissional, mas hoje posso dizer que como mãe você é simplesmente ESPETACULAR! Esta com certeza é sua maior QUALIDADE, em um mundo onde vemos mulheres chamadas de "mães" que simplesmente jogam seus filhos recém nascidos no lixo..."pais" que atiram suas crianças pela janela... você merece um lugar especial em cada coração capaz de amar... Márcia vc é um exemplo de vida, de superação, de fé, de AMOR O MAIS PURO AMOR... Sou sua fã e quero poder ser uma mãe tão fantástica para meu filho como você é para os seus... Um grande beijo pra vc e um especial para a Marcela que teve a chance de tê-la como mãe e hoje é uma menina privilegiada por estar sob seus cuidados e que com certeza irá se superar a cada dia através do seu AMOR!

Anônimo disse...

Marcia,

Passei por alguns momentos muito difícieis, na minha vida também, desemprego, 03 filhos pequenos para criar, marido dizgnosticado com câncer,enfim foram muitos os momentos que parecia enlouquecer, mas só o tempo resolve, as ansiedades, as barreiras, os desesperos, as agonias, mas também nos tras as lembranças de quem fomos um dia!
E pode ter certeza, que por mais difícil que foram esses momentos,vividos por você, sua filha e sua família, você irá descobrir que tornou-se um ser humano melhor, mais fortalecida, mais determinada, e que certamente terá a recompensa toda vez que olhar nos olhos de sua filha e ver todo aquele amor que só os filhos de uma mãe como você recebe de um filho!!
Fiquem com Deus, fiquem em paz!!

Anônimo disse...

ISSO É UMA LIÇAO DE VIDA!!!!
UMA... PUUUUUUUUUUTA LIÇÃO DE VIDA!!!
PARABENS A VC MARCELA QUE É UMA GUERREIRA MUTIO FORTE!!!!!!!
E A SUA MAE.... QUE É UMA MAEZONA!!!!

Fernanda disse...

Estou com lágrima nos olhos ao ler o texto, mas com o coração sorrindo!Pois apesar de todo o sofrimento, a vitória está presente dia após dia!
Que Deus continue presente na vida de vocês!
Bjokas especias!
Fernanda Lourenço

Simone duran Vasconcelos disse...

É um privilégio poder dizer que fui professora da Marcela. Ensinei muito pouco, diante da lição que Marcela nos deu.
Marcia também nos ensinou a acreditar sempre!
Muitas lágrimas...muitos momentos dificeis. As coisas não são como nos filmes e novelas..todos bem sabem e cada dia é uma nova batalha..tempo, convênio, trabalho, dinheiro, contas a pagar, marido, outras filhas que precisam de atenção, além, é claro da própria mulher que precisa de colo e atenção..Mãe..frágil e despedaçada..forte e lutadora...
Parabéns por todas as batlahas que já foram conquistadas e por outras que ainda virão.

cida marconcine disse...

Nem tenho palavras para expressar o que senti ao ler a publicação acima. Uma lição de motivação, de amor, de vitórias, de vida.... O sofrimento e a dor estão presentes na vida de muitos que vivem sobre a Terra, mas nem todos tiram preciosas lições de vida... nessa horas é que tenho orgulho de ser humana, de ter a certeza que vale a pena continuar lutando... abraços e obrigada por dividir com a gente essa experiência familiar que com certeza deixam marcas muito mais fortes na alma do que no corpo...

marivel disse...

Ao ler esse relato, acredito mais ainda que mães são seres especiais, clones de Deus na terra, não ha explicações para tantas superações, forças e amor.
Como nada é por acaso, vibrarei muito para que vocês passem por tudo isso com fé, confiança e aceitação, acreditando que cada dia é uma etapa vencida para quem já é vencedor como vocês.
Com carinho, sua nova amiga do FB, Maria Elena

Luiz A. By disse...

Mãe da marcela, me procure pelo e-mail: luizrico@oi.com.br

Anônimo disse...

Oi Marcia,
Nos primeiros dias de vida do meu filho eu passei uma situação parecida, porque ele nasceu com anóxia neo-natal. Felizmente e graças a Deus ele está com quase 10 anos e bem, sem sequela alguma!
Por isso, acredite, para Deus nada é impossível e por acaso! Vi no seu perfil do facebook que és espírita também. Acredito piamente nas Leis Divinas e Naturais!
A cada palavra que eu lia de seu depoimento emocionante, meu coração se comprimia, imaginando a tua dor como mãe.
Parabéns por tudo o que você faz. Não fugiu jamais dos dizeres do Evangelho, que, entre outras coisas, menciona cuidarmos de nossos filhos!
Que Deus as abençoe! Sempre

Vera Ruman disse...

Marcia e Marcela cada vez que entro no blog adimiro mais vcs que Deus esteja sempre do lado de vcs Bjs Vera

Luísa Camargo disse...

Márcia querida...

Que toda a dor vivida por você seja transformada em vitórias e conquistas.
O amor, a união e a dedicação foram e são as palavras chaves de todo esse processo.
Na verdade acho que tudo se resume em uma única frase: "Ser mãe"...

Bj
Luísa Camargo

Anônimo disse...

Que a sua força seja abençoada por Maria Santíssima, e a vontade do Pai Eterno seja sempre aceita. Vitorias para a vida de todas vocês.

Maria Luiza Hausch disse...

Fiquei sabendo do que aconteceu com a Marcela através do meu filho Alex Hausch, que era médico anestesista do Hospital Santa Catarina na época.Foi um caso que o deixou muito sensibilizado, ele foi um dos médicos que atendeu a Marcela. Mas infelizmente no dia 28/07/2009 ele e um colega de trabalho estavam em um Gol saindo do estacionamento da Burgos hamburgueria,( começo da Av. Hélio Pelegrino) quando foram atingidos por um Citroën C4,com um motorista irresponsável dirigindo embriagado em alta velocidade, participando de um ¨racha¨. Meu filho morreu na hora preso nas ferragens do carro, e seu colega com vários traumas.Além da dor que convivemos todos os dias com a perda de nosso filho, temos que conviver com a impunidade, indiferança, falta de amor ao próximo; essa foi a atitude do causador da morte do meu filho:¨nem os pésames¨.A dor é infinita... Um abraço, fiquem com DEUS.Maria Luiza Hausch

Anônimo disse...

Oi!ler esta história e comovente e um aprendizado e ver que os meus problemas em relação aos seus são pequenos,e saber que o amor de mãe e ainda mais belo,não te conheço pessoalmente,mas te parabenizo,e quero que deus abençoe vc e sua familia todos os dias, pois você é digna de receber o nome "MÃE".

Srta. Bel disse...

Que comovente história, não tem como ler o relato dessa mãe e não se sentir tocada profundamente.
Espero em Deus que todas as vitórias sejam realizadas na vida de vocês.

mariana disse...

Marcela e marcia

Ambas são exemplo de força e sucesso. Independente de até onde chegue a recuperação da Marcela, ela já é de longe vencedora por ser tão especial e lutadora. Marcia, você já é uma vencedora por sua dedicação e seu prêmio já está em seus braços: sua filhinha com vida, adquirindo cada vez mais independencia e o mais importante: uma menina de mente tão sã e lúcida. Parabéns às duas e que Deus continue iluminando a recuperação das duas.

Liz Mendes disse...

Foi por acaso, o vídeo no Yahoo!, que vim parar aqui hoje. Me arrepiei, fiquei emocionada e só consigo parabenizar tanto a mãe, que o tempo todo esteve ao lado da filha dando suporte e apoio para que ela conseguisse seguir em frente e retomar a vida passo-a-passo, quanto à filha, Marcela, pela força de vontade. Marcela, você é linda! Assisti ao vídeo do Yahoo! duas vezes já e só consigo torcer cada vez mais para que você seja muito feliz e consiga atingir todos seus objetivos hoje e sempre. Parabéns por terem uma família tão linda e que deveria ser exemplo para todos.

Sopa de Números na Educação Inclusiva disse...

Marcela, você é uma garota de fibra!!!! Força, garota!!!!! Parabéns a você e sua família, que, com muita persistência e fé em Deus, estão conseguindo superar, a cada dia, os obstáculos!!!! Forças positivas para todos vocês... e que esse exemplo de perseverança seja um modelo para outras pessoas!!!!!!! :-D Temos certeza, Marcela, de que vocÊ é uma pessoa muito mais madura, muito mais persistente (como você mesma demonstra em sua entrevista no site do Yahoo)... e dá de "10 a zero" em muita menininha da sua idade que, por qualquer motivo bobo e fútil do dia-a-dia, acha que "o mundo acabou"! :-D Continue essa mulher de fibra que você é!!!

Somos autores de um blog que aborda temáticas como Acessibilidade,Tecnologias Assistivas e Educação Inclusiva. Já adicionamos seu blog na lista de Favoritos, para os nossos leitores conhecerem seu blog também. Fizemos uma postagem especial sobre você e seu blog! Veja:
http://sopadenumerosecalculos.blogspot.com/2011/09/marcela-garota-de-fibra.html

Um forte abraço!!!!!

Anônimo disse...

Nita Serra: Hoje quando acessei a internet o site do yahoo tinha um video falando da história da marcela, fui ver o blog e li o ocorrido.
Fiquei pensando como Deus tem um propósito em nossas vidas, e com certeza na vida da Marcela, pois Ele sabe por que a manteve viva e a livrou da morte, justamente creio eu é que seja pra passar essa a outras pessoas essa força, alegria e coragem de continuar a lutar. E ela serve e muito pra mostrar que Deus é muito poderoso para fazer além do que podemos pedir ou pensar. E graças a Ele, ela pode respirar e sonhar que dias muito melhores estão por vir na vida dela. Que Deus abençoe a sua família.
Bjussss...

Anônimo disse...

PARABENS UMA LIÇÃO DE VIDA
EXEMPLO DE LUTA
DE VALOR A VIDA

Keiler Menezes disse...

És uma lutadora. Lições como esta nos mostram o real significado da palavra amor.

Alexandre disse...

D. Marcia! parabens, pelo exemplo de mae que e a senhora! vivemos em um pais de tantos absurdos familiares, e tantos absurdos! e nos deparamos com uma historia que e um exemplo de superaçao. Tenha Fé , que tudo sera alcançado... parabens!

Anônimo disse...

Márcia, tenha certeza que Jesus vai te dar muita força e que sua linda filha saíra totalmente curada desta batalha, tenho fé que ela terá muitos progressos em sua fala, progressos motores, emocionais incríveis pois o senhor Jesus é poderosíssimo e essa força que vc tem escrevendo toda essa história provém de uma força superior: Deus.

Postar um comentário

 
powered by Blogger